fr en es pt
astronomia
        RSS astronoo

O Corte Galileano ou início da física moderna

O Corte Galileano

 Tradução automáticaTradução automática Categoria: Terra
Actualização 03 de dezembro de 2014

Os historiadores das ciências consideram que o Corte Galileano marca o início da física moderna. Desde a Grécia antiga, cerca de 4 séculos aC, até o final da Idade Média (século XV), a visão de mundo é estável, é a do grande filósofo e cientista grego Aristóteles (−384 −322 aC).
Sua obra, na esfera metafísica e física é tão grande que ele vai influenciar muitas civilizações. Na verdade, o pensamento de Aristóteles, o aristotelismo, vai difundirse através os escritos de muitos pensadores e várias escolas.
As obras de Aristóteles descreve um mundo "intuitivo", que é dividido em duas partes, o mundo sublunar (sob a Lua, a Terra) e o mundo supralunar (além da Lua, o resto do universo).
O mundo sublunar está mudando, imperfeito, corruptível, que é o lugar de fogo, ar, água e terra. O mundo supralunar é o lugar do éter, imutável, perfeito e incorruptível.
O mundo é geocêntrico e a Terra está imóvel no espaço, toda a gente adapta-se com ele, porque ele corresponde às observações da época. Essa visão do mundo tem-se propagado por todos os comentadores de Aristóteles (na época de Aristóteles), os neoplatônicos (cerca de 300−540), os árabes, no meio de Idade Média (cerca de 980−1200), os judeus (cerca de 1130−1200), os bizantinos (cerca de 1040−1140) e os comentadores da Idade Média (de cerca de 1180−1280). É claro que alguns matemáticos, físicos, astrônomos, filósofos e popularizadores das ciências no final de Idade Média estavam céticos sobre este mundo geocêntrica, especialmente Nicole Oresme (1320−1382) e Jean Buridan (1292−1363).
Este mundo tem atingido seus limites, mas ninguém vai colocar em causa porque acordava-se perfeitamente com os "livros sagrados" da Idade Média.
Com Nicolau Copérnico (1473−1543), o mundo vai mudar. Copernicus astrônomo e médico polonês irá desenvolver uma teoria que coloca o Sol no centro do universo (heliocentrismo) em torno do qual orbitam os planetas.

 

A Terra não era mais central e imóvel, mas um planeta como os outros. Seu livro de 1543, intitulado "De Revolutionibus Orbium Coelestium" será divulgado "amplamente". Esta mudança de paradigma profundo tanto filosófico que científico, imposto por Copérnico, é chamado de "revolução copernicana", mas é Galileu (1564−1642) que fará pender a ciência no mundo moderno.
Quando pensamos à Galileo Galilei, imagina-se que aponta seu telescópio para as superfícies irregulares da Lua, as estrelas da Via Láctea, as luas de Júpiter, as fases de Vênus, ou para Saturno. Mas isto não é o uso do telescópio na astronomia, que marca o início da física moderna.
O Corte Galileano é marcado com o enunciado da lei da queda dos corpos por Galileu no início do século 17, cerca de 1604.
Ella disse que: a velocidade adquirida é proporcional a duração da queda e é independente da massa e da natureza do corpo. Esta é a primeira vez que uma lei física expressava-se com o parâmetro "tempo" de acordo com o físico francês Etienne Klein, é este o Corte Galileano. O tempo se torna uma variável matemática e irá desempenhar um papel decisivo na física moderna.
A lei da queda dos corpos de Galileu é revolucionária porque vai contra os nossos sentidos. Na verdade a teoria intuitiva de Aristóteles nos parece mais correta porque explica que os corpos pesados caem mais rápido que objetos leves. Mas ela é falsa.
Para fazer conhecer melhor as suas descobertas, Galileu escreveu em 1632 "DIALOGO" um diálogo sobre os dois sistemas principais do mundo, a de Ptolomeu (90−168), e a de Copérnico (1473−1543). Ele escreveu o livro em italiano para ser melhor compreendido, e não em latim que era a língua das publicações da época.
Para imaginar a queda dos corpos no vazio, Galileo passou por uma experiência de pensamento, ele vai usá três personagens.
Para este livro, o Papa Urbano VIII condenará Galileo 22 de junho de 1633 (veja o próximo capítulo).

 O mundo sublunar de Aristóteles

Imagem: As obras de Aristóteles descrevem um mundo "intuitivo", que é dividido em duas partes, o mundo sublunar (sob a Lua, a Terra) e o mundo supralunar (além da Lua, o resto do universo).
O mundo sublunar está mudando, imperfeito, corruptível, que é o lugar da água, ar, terra e fogo. O mundo supralunar é o lugar do éter, imutável, perfeito e incorruptível.
Aristóteles foi um lógico, filósofo, científico grego, nascido em 384 aC. e morreu em 322 aC. à Chalcis. Estudante e discípulo de Platão, Aristóteles é um dos pensadores mais influentes do mundo ocidental. Seus escritos monumentales incluem muito do conhecimento filosófico e científico da época. A distinção entre filosofia e ciência não existia na época de Aristóteles, que remonta ao final do século XVIII.
Crédito de imagem : astronoo.com

Diálogo sobre os dois máximos sistemas do mundo

    

Extrai do livro de Galileu combina durante 4 dias, três personagens, Simplicio defensor da teoria de Aristóteles, Sagredo, aberto, honesto e cultivada Salviati que representam as idéias que Galileo quer transmitir.
Simplicio : Aristóteles demonstrado que, no mesmo ambiente, os objetos de diferentes massas caem com velocidades diferentes e estas velocidades são proporcionais às massas dos objetos. [...] Você ainda não tem a intenção de nos provar que uma bola de cortiça cai na mesma velocidade como uma bola de chumbo? [...]
Salviati : Duvido que Aristóteles baseia-se em uma experiência para afirmar isso. [...]
Simplicio : No entanto, suas palavras mostram que ele observou o fenômeno, uma vez que ele diz: "Nós vemos que o mais pesado ...". Este "vemos" faz alusão a uma experiência.
Sagredo : Mas eu, que fez o teste, Signor Simplicio, garanto-vos que uma bola de canhão de cem ou duzentos quilos, ou mais, não vai demorar avanço de uma palma em sua chegada ao chão em uma bala de mosquete de meio quilo, enquanto a altura de queda era de cem côvados! [...]
Simplicio : Acho que é difícil acreditar que a lágrima chumbo pode cair tão rápido como uma bala de canhão.
Salviati : [...] Eu não iria, Signor Simplicio, que, como muitos outros, vós concentráveis-vos em uma coisa dessas, eu disse e que se desvia da verdade da espessura de um cabelo, para evitar para ver o erro tão grande quanto uma amarração que Aristóteles cometido. Aristóteles escreve: "Uma bola de ferro de cem libras que caem de uma altura de cem côvados atinge o solo antes de a bola de um livro a ser descendentes de um único côvado." Eu digo para mim mesmo, eles vêm juntos. Você só tem a experiência, e você vai descobrir que quando a grande bola toca o solo, o outro está longe de ser apenas dois dedos. E você agora por trás desses dois dedos, esconder noventa e nove côvados de Aristóteles, e levantando meu pequeno erro, ignorar o seu grande erro.

 

Simplicio : De qualquer forma, eu não acredito que no vácuo, se o movimento era possível lá, um novelo de lã ccairia tão rápido quanto um pedaço de chumbo.
Salviati : Lentamente, Signor Simplicio [...] em vez escutais o raciocínio vai iluminá-lo. Buscamos o que aconteceria com objetos de muito diferentes massas em um meio de resistência zero. [...] Só um espaço completamente vazio nos permitiria receber uma resposta. Como tal espaço não existe, vamos ver o que acontece em ambientes pouco resistentes, em comparação com fundos mais resistentes; e se acharmos que objetos diferentes têm velocidades cada vez menos diferentes, quando os meios estão cada vez mais fácil de atravessar, [...], então podemos supor, com elevada probabilidade, a mim parece-me que em velocidades de vácuo são iguais. [...] A experiência que consiste em tomar dois objetos de massas muito diferentes, e deixar de ir a uma certa altura para observar se suas velocidades são iguais, tem algumas dificuldades. Com efeito, se a altura é importante, o meio interferirá muito o objecto leve e uma longa distância o objecto leve irá então permanecer atrás. [...] No entanto, se se toma dois objetos com a mesma forma e do mesmo material, e que reduz a massa de uma ao longo da sua superfície, não ocorre nenhuma redução da velocidade. [...] por conseguinte, concluo que, se elimina completamente a resistência do meio, todos os objetos caem com a mesma velocidade.

nota: Galileu imaginava experiências de quedas desaceleradas de modo que eles são facilmente mensuráveis a olho nu. Para que retarda a queda do corpo, colocando-os em um plano inclinado liso. Assim, o efeito da gravidade é reduzido e as bolas de bronze perfeitamente polidas e esféricas rolam lentamente arrastadas por seu próprio peso. Após muitos testes, Galileo foi capaz de formular as leis da queda dos corpos.

 Diálogo sobre os dois máximos sistemas do mundo

Imagem: Para melhor fazer conhecer as suas descobertas Galileo, protegido pelo Papa Urbano VIII, escreveu em 1632 "DIALOGO" um diálogo sobre os dois sistemas principais do mundo, a de Ptolomeu e de Copérnico. Ele escreveu o livro em italiano para ser melhor compreendido, e não em latim, que era a língua das publicações científicas da época. em italiano : Doue ne i congressi di quattro giornate si discorre sopra i due massimi sistemi del mundo tolemaico, e copernicano;
Galilee termina seu livro "DIALOGO" em 1629, mas o 1632 publicado em Florença, que as fases do Galileo para 4 dias, três personagens, Simplicio defensor da teoria de Aristóteles, Sagredo, homem honesto e aberto e cultivado Salviati representando idéias de Galileu. Simplicios é o nome do filósofo do sexto século e comentarista de Aristóteles, Salviati e Sagredo são os nomes dos dois amigos da Galileu. O Papa Urbano VIII, trapa por Galileo, vai tentar banir este livro que é um apelo para que o sistema de Copérnico, e, portanto, contra as Escrituras, mas Galileu publicou em Florença, e não à Roma como desejado pelo papa. O Papa Urbano VIII, por razões geopolíticas, tem de mostrar seu poder e é condenará Galileo uma ligeira sanção 22 de junho de 1633, Galileo deve abjurar seus erros, o seu trabalho é proibido e será sob prisão domiciliar até o fim de sua vida, 08 de janeiro de 1642.

 
           
           
 
1997 © Astronoo.com − Astronomia, Astrofísica, Evolução e Ciências da Terra.
Contact    Mentions légales
mundo geocêntrico de Aristóteles
Visão egocêntrica,
o homem no centro...
 
simulador Revolução e posição dos planetas
Simulator,
a revolução dos planetas...
 
Além dos nossos sentidos, as grandes revoluções científicas
Além dos nossos
sentidos...